Turbine o cérebro com vitamina C

Ela melhora o desempenho da atividade cerebral e alivia os efeitos nocivos do estresse

A vitamina C não serve apenas para fortalecer o sistema imunológico – ela também é benéfica para o desempenho das atividades cerebrais, especialmente por conta de sua ação antioxidante, que previne o dano e envelhecimento da massa cinzenta, assim como de outras estruturas do corpo.

De acordo com Olavo Rodrigues, farmacêutico clínico da Natulab, em São Paulo (SP), a substância atua em dois processos relevantes para o sistema nervoso central: a remoção de radicais livres, produzidos naturalmente pelo metabolismo celular, e o sistema de consumo de energia dos neurônios. “Ela pode ativar o suprimento alternativo de energia nos casos de consumo total da glicose no cérebro”, explica.

Prevenção de doenças degenerativas

Vale ressaltar, ainda, que a vitamina C pode ser uma importante aliada na prevenção de doenças neurodegenerativas, como o Alzheimer e o Parkinson, uma vez que o estresse oxidativo, ou seja, a produção de radicais livres no cérebro, é a causa da degeneração dos neurônios. Além disso, a vitamina C ainda provoca a redução nos níveis de cortisol, um hormônio que tem sua liberação estimulada pelo estresse, aliviando suas consequências negativas.

Como consumi-la?

Para obter as vantagens da vitamina C, seu consumo deve ser regular. Existem vários alimentos, principalmente frutas e legumes de coloração verde, vermelha e amarela, com sabor cítrico ricos na substância. Alguns exemplos são laranja, limão, goiaba, acerola, manga, morango, pimentão, tomate e brócolis. “Nos casos de alimentação desbalanceada ou em períodos de estresse e desgaste físico e mental intenso, pode ser necessário um aporte maior por meio da suplementação, com a orientação adequada de um profissional, seja ele médico, nutricionista ou farmacêutico”, conclui.